ESCREVENDO A BÍBLIA

antigos-testamento

Jesus chega pra conversar com um amigo que está sentado embaixo de uma arvore, escrevendo algumas histórias para no futuro, publica-las em um livro.

– Opa.
– Fala, Jesus.
– E aí, ta escrevendo o que?
– Um livro.
– E fala do que?
– Ah, histórias nossas. Do pessoal da região aqui.
– E ta falando de mim ai?
– To. Tem aquela história louca com as meninas lá, e o anão.
– Ahh, mas ai vai queimar o filme né?
– Ah, mas todo mundo já sabe.
– O pessoal da área já sabe, mas e se vender muito?
– Ah não vende não. Vai ser mais pro pessoal da área mesmo.
– Ah não, tira essa história ai. Se o pessoal de outra região ficar sabendo não vai ser legal. Poe umas coisas legais ai. Vamo chamar a atenção da mulherada. Inventa umas coisas.
– Tipo o que exatamente?
– Poe ai que eu tenho uns poderes. Sei lá. A galera curte ler essas coisas.
– Ta… mas… que tipo de poder?
– Sei lá. Fala que eu consigo transformar as coisas. Tipo água em whisky.
– Pô, mas ai ninguém vai acreditar.
– Bota vinho então. Água em vinho. Mais tranquilo.
– Olha, eu falei com a editora que ia ser uma história real e os caras curtiram. Se ficar nessas de poder e magia não vão aceitar meu trampo.
– É nada cara. Olha só, to com umas moeda boa que ganhei no trampo. A gente paga um por fora. Aí entro com você no negócio.
– Ta. Mas se não aceitarem eu corto essa parte.
– Beleza.

(silêncio)

– E o ceguinho lá? Poe o ceguinho na história.
– O de Jericó? Ele não é cego não. Aquele safado finge pra pedir dinheiro.
– Então vamos fazer o seguinte. A gente da uma grana pra ele. Quando tiver uma galera por perto eu finjo que curei ele. Ai você poe essa história no livro também.
– Acho que ele não vai querer não.
– Vou trocar uma ideia com ele. Se tiver testemunha vai ficar mais fácil da galera acreditar quando ler a história do vinho.
– É… Pode ser.

(silêncio)

– E vilão? Tem vilão na história? Tem que ter um vilão, um traíra.
– Tem nada, o pessoal aqui é gente boa.
– Pô, mas tem que te vilão. Toda história tem. Da aquele clima tenso.
– E eu vou por quem de vilão?
– Ah, sei lá…. Tem o Judas.
– Mas o cara é gente boa.
– Ah, mas ele é meio na dele né? Só fica em casa. Não participa muito das coisas. Chamei o cara pra sair três vezes essa semana e ele negou.
– Pô, sei lá. O cara vai ficar meio puto.
– Vai nada. Ele não vai ligar não. A gente troca uma ideia com ele depois.
– Beleza, vou anotar aqui. Depois eu crio alguma coisa.

(silêncio)

– E morte? Tem morte na história?

– Não, Jesus. Não vai ter morte não.
– Pô, mas morte é bom. Morte da audiência.
– E eu vou matar quem na história?
– Ahh, pode ser eu mesmo. Eu morro.
– Você? Tava cheio de querer ser o fodão da história e agora quer morrer?
– É, mas ai pra ficar interessante eu tenho que ressuscitar logo em seguida.
– Ta maluco cara?

(silêncio)

– Ta, não precisar ser na hora não, pode ser três dias depois.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s